Nunca houve um homem como Heleno

3
442

O craque galã! Capaz de lances geniais e encrencas fenomenais, é considerado o primeiro craque problema do Brasil. Um dos maiores personagens do futebol brasileiro da década de 40, quando, especialmente o Rio de Janeiro, era considerado o paraíso na Terra. O mundo estava em guerra e Copacabana era o centro do mundo, com todo o glamour que apresentava.

Heleno nasceu em uma família rica, do interior de Minas Gerais, em 12 de fevereiro de 1920, havia estudado em bons colégios, se formado em Direito, era poliglota, mas… a vaidade de ter milhares de pessoas gritando seu nome, o leva a ser jogador de futebol. Começa a carreira pelo Botafogo, onde forma uma linha de ataque inesquecível para os amantes do futebol: Jair Rosa Pinto, Tesourinha, Zizinho, Heleno e Ademir Menezes. Passou pelo Boca Jrs., pelo Atlético Jr., da Colômbia, Vasco, Santos e América-RJ, quando já se encontrava louco, tomado por uma sífilis cerebral. Sua vida promíscua e seu vício em éter perfumado colaboraram para sua morte precoce, aos 39 anos.

Toda essa história é contada no filme Heleno, de José Henrique Fonseca, que tem Rodrigo Santoro no papel principal. Os vídeos abaixo trazem as duas primeiras partes do programa De Lá Pra Cá, de Ancelmo Gois, apresentado na TV Brasil, sobre a vida de Heleno.

COMPARTILHAR
Post anteriorVocê, um cartola
Próximo postO Futebol no Inferno – II
Ricardo Roca
Formado em Comunicação Social e pós-graduado em Administração de Empresas, ambos os cursos pela ESPM, atualmente cursando mestrado em Linguística. Professor universitário, sócio da Roda Fiandeira, consultor nas áreas de comunicação e marketing e apaixonado por futebol e arte.

3 COMENTÁRIOS