Archive for fevereiro, 2017

Onde estão as treinadoras? – com Emily Lima

Posted by Ricardo Roca On fevereiro - 26 - 2017ADD COMMENTS

Discussão sobre a predominância de homens no papel de técnicos e treinadores no cenário esportivo de alto rendimento.

Emily Lima é ex-jogadora de futebol e atual técnica da Seleção Brasileira de Futebol Feminino, sendo a primeira mulher a treinar uma seleção e ocupar esse cargo.
Emily
09/03, das 19h às 21h
Sesc Pinheiros – Sala de Múltiplo Uso (3º andar)- Inscrições no dia e local.
R. Paes Leme, 195 – Pinheiros – São Paulo – SP

Fonte: Sesc

#futebolfeminino

Share Button

Lançamento: “#Prass38″

Posted by Ricardo Roca On fevereiro - 25 - 2017ADD COMMENTS

Prass38
#prass38
#livrosdefutebol

Share Button

Artes Visuais: Futebol, de Cassimano

Posted by Ricardo Roca On fevereiro - 24 - 2017ADD COMMENTS

Registrada no Jardim Jaqueline, a obra Futebol marca o início da pesquisa de Cassimano sobre futebol de várzea, trabalho que o artista desenvolve desde 2007 e que resultou em um documentário sobre o tema dirigido por Akins Kinté. O ensaio também originou exposições itinerantes.

Cassimano é fotógrafo e designer gráfico. Em cinema fez a fotografia dos documentários: Várzea a bola rolada na beira do coração (2009); Nos Tempos da São Bento (2010); Zeca, o poeta da Casa verde (2011). Colabora de forma ampla nos projetos em que se envolve, mescla ideias e diferentes linguagens.

Monogaleria
Uma galeria de arte diferente, onde apenas uma obra é exibida por vez. A cada mês um fotógrafo ou coletivo de fotografia que ainda não está em evidência no circuito de exposições é convidado a expor e discutir o tema proposto pela curadoria em uma única imagem. A origem é a região do Campo Limpo. O destino é uma relação franca entre periferias, subjetividades e memórias.
Curadoria: Rogério Pixote
Futebol_Cassimano
07/03 a 02/04, de terça a sábado, das 13h às 22h e domingos, das 11h às 20h
Sesc Campo Limpo
Rua Nossa Senhora do Bom Conselho, 120 – Campo Limpo – SP

Fonte: Sesc

Share Button

Fut-Encontro – Emoção: As histórias incríveis do Pacaembu

Posted by Ricardo Roca On fevereiro - 23 - 2017ADD COMMENTS

FutEncontro_Paca

Share Button

O jogo não valia muita coisa, nessa enfadonha fase inicial do Paulistinha, mas era um Corinthians x Palmeiras. Tanto que começou tenso, como se fosse decisivo ou no clima de Libertadores, o que seria um excelente teste para o time verde. Por isso era mais disputado do que bem jogado e de bom mesmo no primeiro tempo, dois ou três lances de perigo.

Se o jogo já não era um primor, o apitador conseguiu complicar mais as coisas e expulsou equivocadamente o volante Gabriel, do Corinthians, ex-Palmeiras, por uma falta em lance do qual ele nem participou. Tá certo que o jogador, pilhado acima da conta, talvez por enfrentar seu ex-clube pela primeira vez, já merecia ter sido expulso em lance anterior, mas dois erros não fazem um acerto e o árbitro “estragou o clássico”, na maioria das opiniões alviverdes e, principalmente, alvinegras.
Expulsao
Para o segundo tempo, com um jogador a mais e um elenco mais farto, o favoritismo do Palmeiras aumentava. Pouco a pouco o time foi se impondo, aumentando a posse de bola, chegando com perigo algumas vezes, mas… sem inspiração e contundência.

Até que num desses lances que só o futebol proporciona, Guerra, o craque da última disputa Sul-Americana cometeu uma falha grosseira e Jô, em seu primeiro toque na bola, fez o único gol do jogo. Corinthians 1 x 0 Palmeiras.

O time alvinegro se superava, e seus jogadores lutavam bravamente, enquanto o alviverde mostrava que ainda não sabe jogar esse tipo de partida, similar ao que vai enfrentar no torneio mais importante do ano, a Libertadores. Eduardo Baptista faz bons trabalhos, mostra dedicação e talento, mas ainda peca mais que o esperado e preocupa a torcida do Palmeiras. No outro parque, Fábio Carille ganha fôlego e o time do Corinthians ganha tempo e motivação para a temporada.

A tecnologia continua fazendo falta às arbitragens, mas no caso de hoje, o juiz até foi avisado sobre seu equívoco, mas sua postura arrogante o impediu de voltar atrás e corrigir o erro.

Nota triste para a cotovelada que o bom e costumeiramente não violento defensor Vitor Hugo aplicou em Pablo.

Share Button