Perivaldo – Nosso Querido Peri da Pituba Nos Deixou

0
45

Ele foi da época romântica do futebol, quando se colocava 100 mil torcedores no Maracanã sem ser decisão. Vi seu começo de carreira no Bahia, onde formava uma zaga com Roberto Rebouças, Sapatão e Romero. Mas sua explosão veio no Botafogo, para onde se transferiu no final dos anos 70. Jogou também no Palmeiras e Bangu. Jogador folclórico, não era muito talentoso, mas extremamente voluntarioso. Botava mas também pegava muita pilha. Zico uma vez não aguentou, deu-lhe uma cotovelada e foi expulso. Já em outra oportunidade Roberto Dinamite puxou sua camisa na área e ganhou a jogada, obrigando Peri a fazer pênalti. Roberto converteu a cobrança e, não satisfeito, provocou o baiano, que perdeu a linha e foi expulso.
PeriPituba
Reza a lenda que ele foi considerado “persona non grata” pelos gandulas do Maracanã, pois seus cruzamentos caiam muito longe. Nas semifinais do Brasileiro de 1981 ele comeu a bola nos 2 jogos contra o Flamengo e o Botafogo passou à fase seguinte. Os amantes da época áurea do futebol sabem que este esporte ficou mais triste hoje. Vá com Deus, Peri da Pituba.

Sergio Macedo, 53 anos, casado, praticante de corrida, carioca, vascaíno, portelense, formado em Administração de Empresas e Análise de Sistemas pela Faculdades Nuno Lisboa, RJ. Apaixonado por futebol e samba. Autodidata em Jornalismo Esportivo. Sendo discípulo de João Saldanha, Luiz Mendes e Sandro Moreyra. Não fiz Faculdade de Jornalismo, porque essa seria feita durante o período de ditadura militar e meus pais temiam que a total aversão aos militares que sempre tive causasse problemas.

Os textos e charges publicados na categoria CONVIDADOS, apresentam e refletem a opinião dos mesmos, não necessariamente alinhando-se com a do Blog Futebol-Arte. Sua publicação tem o propósito de apresentar diferentes pontos de vista e estimular reflexões e debates.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here