Archive for the ‘literatura’ Category

BHFC
O site da Secretaria de Cultura da prefeitura de Belo Horizonte disponibiliza a obra “Belo Horizonte F.C – Trajetórias do Futebol na Capital Mineira” para download.

A obra traz textos que tratam dos aspectos históricos, sociais e da memória do futebol na capital, interpretando, à luz de rigorosa pesquisa, os aspectos que caracterizam sua trajetória e importância para os habitantes. Os jogos de futebol, dentre as várias práticas de habitar a metrópole, podem realizar mediação positiva entre a urbe e o cidadão, agregando lazer ao espaço urbano. Os campeonatos cumprem o papel de canalizar energias que podem se converter em orgulho postos nos times do coração. A atitude daqueles que “vestem a camisa” e transitam pelas ruas, avenidas e bairros simboliza uma apropriação do espaço público, incorporando um contrato social tácito, dando significado ao viver na metrópole. Razão e paixão se confundem, e o espaço público torna-se lugar da festa, o lugar vivo, possibilitando o convívio da tolerância e das diversas identidades, mesmo que no âmbito esportivo.

Fonte: Secretaria da Cultura de Belo Horizonte

#livrosdefutebol
#futeboleliteratura

Share Button

Golaço – Painel das Letras

Posted by Ricardo Roca On novembro - 8 - 2016ADD COMMENTS

Especializada em futebol – nicho que não cria best-sellers -, a Grande Área já vendeu 14.000 exemplares de “Guardiola Confidencial”, de Martí Perarnau, lançado há pouco mais de um ano.

Fonte: Painel das Letras – Folha de São Paulo – 05/11/2016

Share Button

Carta ao Tite

Posted by Ricardo Roca On setembro - 1 - 2016ADD COMMENTS

Envelope
São Paulo, 01 de setembro de 2016

Caro Tite,

Há alguns anos escrevi uma carta aberta para o Ma-no; ele não deu muita bola e… veja no que deu?! Com o Dunga nunca acreditei e por isso nem tentei, mas deposito muita fé no seu trabalho, até porque, seu nome corrobora minha “tese”.

Repare só em uma coincidência interessante a respeito dos nossos craques, os apelidos com quatro letras. Como disse na época, “não são quatro letras quaisquer; são quatro letras que seguem uma combinação específica. Duas sílabas bem demarcadas, sempre com a sequência consoante-vogal-consoante-vogal”, assim como você, Ti-te.

Hoje você começa sua jornada pela seleção brasileira contra o Equador, pelas Eliminatórias para 2018, pedreira. Espero que observe com atenção, reflita sobre o que aqui copio daquela missiva e tome as devidas providências.

“Exemplos não nos faltam. Comecemos pelo maior de todos, Pe-lé. No final dos anos 70 e ao longo dos anos 80, Zi-co reinou absoluto, com seu coadjuvante Ti-ta. Antes dele, o maior craque do Flamengo foi Di-da. No começo dos anos 90, quem deu o primeiro título ao Corinthians? Ne-to; assim como o maior ídolo do São Paulo e comandante das maiores conquistas das décadas de 90 e anos 2000 foi (Rogério) Ce-ni. Falamos no tricolor e lembramos de quem? Pi-ta, Ka-ká e Mestre Te-lê.

Antes de Pelé, quem mandava no futebol brasileiro? Di-di. Ambos tinham como companheiro um gênio da raça, que, equivocadamente chamavam de Garrincha, mas cujo sucesso se deve a seu “nome-apelido”, Ma-né. E por aí vai, o maior craque do Bahia, Bo-bô; alguns dos nossos campeões do mundo, Va-vá e Zi-to; o artilheiro dos gols bonitos, Do-dô. O parceiro de Ademir da Guia, Du-du; o maior craque da história da Ponte Preta, Di-cá. E não pense que é só no Brasil não, Xa-vi, Ko-pa, Ri-va, De-co… estão aí pra comprovar a teoria.

Claro que há craques com nomes/apelidos com outra formação, mas repare que dificilmente alguém com as tais quatro letras não é craque.[…] Enfim, te escrevo tudo isso porque de repente, pode surgir alguma inspiração para sua próxima convocação. Nem que seja para o time de veteranos.”

É verdade que muita coisa mudou nos últimos anos, mas é justamente por isso que devemos resgatar nossa essência. Veja, até mesmo na seleção atual, qual é o apelido de Neymar, nosso principal craque? Jo-ia. É só saber enxergar.

um forte abraço,
Ro-ca

Share Button

Crônicas Boleiras

Posted by Ricardo Roca On agosto - 5 - 2016ADD COMMENTS

Uma palinha do ótimo Crônicas Boleiras, do meu amigo Chico Bicudo. O final do vídeo traz ainda um convite para a sessão de autógrafos que vai acontecer na Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que vai rolar dia 28/08. Aproveite!

#cronicasboleiras
#futeboleliteratura

Share Button

No Dia do Goleiro, futebol em poesia para crianças

Posted by Ricardo Roca On abril - 26 - 2016ADD COMMENTS

Poesia que rola no jogo de bola traz os elementos do futebol em versos encantadores

Fábio Sombra, um grande cordelista e violeiro, trouxe para o mundo da poesia um dos assuntos mais admirados, discutidos e queridos por pessoas de diversas idades: o futebol. Em Poesia que rola no jogo da bola, o autor criou aqui uma atraente parceria entre a poesia e esse esporte, paixão de multidões.

Nesta obra, o leitor encontrará poemas sobre goleiros, atacantes, torcidas e até mesmo o juiz, figura famosa e polêmica no meio futebolístico.

O autor e ilustrador, que também é violeiro, convida os leitores a jogar futebol de um jeito bem diferente: não mais chutando bola ou fazendo gol, mas criando poemas. Neste livro não faltam o goleiro, o atacante, o juiz e a torcida. Todos estão nele, cheios de ginga, ritmos e rimas.

Publicação da editora Mundo Mirim este livro é envolto a muitas rimas e sonoridades, além de dicas interessantes sobre o tema futebol. As poesias são curtas, com ritmo e musicalidade. A letra em caixa-alta (bastão ou maiúscula) propicia uma boa leitura para as crianças mais novas. A ilustração de João Marcos Mendonça remete o leitor aos quadrinhos, característica dos traços do ilustrador. As cores fortes e expressões faciais dos personagens favorecem a aproximação e o interesse dos leitores com a obra.
PoesiaBola
Esta obra possui 16 poemas curtos sobre o tema futebol. O publico irá encontrar personagens como goleiros, juízes e outros elementos importantes em partidas de futebol, apresentados de forma lúdica e alegre.

Sobre a Editora: A Mundo Mirim é uma editora voltada ao público infantil e juvenil cujas publicações para crianças e adolescentes têm o intuito de estimular o prazer de ler, fazer um apelo à imaginação e trazer à tona as grandes ideias que uma boa leitura desperta. Além disso, como a infância é uma fase de constante aprendizado, alguns livros também permitem abordagens didático-pedagógicas, um diferencial que amplia as possibilidades de aproveitamento das obras.

Fonte: Lilian Comunica Assessoria de Imprensa e Editorial

Share Button