Archive for the ‘sites’ Category

Chuteira F. C., seja bem-vindo!

Posted by Ricardo Roca On dezembro - 23 - 2016ADD COMMENTS

Se você procura no Google por blog de futebol, vai encontar mais de oito milhões de resultados. Obviamente que a maioria deles é de iniciativas pessoais, de quem curte o esporte, mas alimenta a página mais como um hobby, um “diário” pra falar de bola, sem no entanto, a qualificação profissional para a apuração dos fatos, a qualidade dos textos, as opiniões embasadas… Também vai encontrar os blogs dos grandes veículos da imprensa esportiva. Alguns são muito bons, com profissionais preparados, mas muitas vezes tem aquele ranço da chamada “grande imprensa”, ou interesses escondidos, amizades com dirigentes, empresários e boleiros…

Uma boa alternativa são os blogs da chamada mídia independente, com jornalistas e profissionais sem o rabo preso, mas com o preparo adequado para produzir um bom material. São poucos e a gente deve louvar quando aparece mais algum. Chegou o Chuteiras F. C., blog de criação coletiva, com colunistas voluntários e independentes, atualizações diárias em vários suportes de conteúdo, como textos, podcasts, vídeos etc..

Alguns craques do jornalismo como Prósperi e o amigo Chico Bicudo, do Crônicas Boleiras, estão por lá. Vale a pena dar uma olhada. Acesse http://www.chuteirafc.com.br/cronicas-boleiras-chico-bicudo-quanto-vale-um-jogo/.

Share Button

BHFC
O site da Secretaria de Cultura da prefeitura de Belo Horizonte disponibiliza a obra “Belo Horizonte F.C – Trajetórias do Futebol na Capital Mineira” para download.

A obra traz textos que tratam dos aspectos históricos, sociais e da memória do futebol na capital, interpretando, à luz de rigorosa pesquisa, os aspectos que caracterizam sua trajetória e importância para os habitantes. Os jogos de futebol, dentre as várias práticas de habitar a metrópole, podem realizar mediação positiva entre a urbe e o cidadão, agregando lazer ao espaço urbano. Os campeonatos cumprem o papel de canalizar energias que podem se converter em orgulho postos nos times do coração. A atitude daqueles que “vestem a camisa” e transitam pelas ruas, avenidas e bairros simboliza uma apropriação do espaço público, incorporando um contrato social tácito, dando significado ao viver na metrópole. Razão e paixão se confundem, e o espaço público torna-se lugar da festa, o lugar vivo, possibilitando o convívio da tolerância e das diversas identidades, mesmo que no âmbito esportivo.

Fonte: Secretaria da Cultura de Belo Horizonte

#livrosdefutebol
#futeboleliteratura

Share Button

Primeira equipe transexual do Brasil

Posted by Ricardo Roca On novembro - 9 - 2016ADD COMMENTS

Excelente matéria sobre a primeira equipe transexual de futebol do Brasil, feita por Felipe Pereira, com imagens de Vinicius Andrade e veiculada no UOL Esporte. O Meninos Bons de Bola é mesmo um Time de Guerreiros, como é chamado na reportagem, que diz ainda que a equipe quer disputar campeonatos amadores.
JaiyahSaelua
Jaiyah Saelua, primeira jogadora trans a participar de uma partida oficial da FIFA

Para ler a matéria completa, acesse http://www.uol/esporte/especiais/time-de-guerreiros.htm#objetivo-participar-de-ligas-amadoras.

#futeboleigualdade

Share Button

Jogo Limpo – Por um esporte sem corrupção

Posted by Ricardo Roca On setembro - 20 - 2016ADD COMMENTS

Uma das maiores virtudes do esporte é mostrar a importância de seguir as regras para que as chances de vitória sejam iguais para todos. Assim, desde criança o esporte reforça aspectos como respeito, compromisso, trabalho em equipe e mais um monte de bons valores. Só que nem todo mundo ligado ao esporte pensa e pratica o “jogo limpo”.

Pensando nisso e com o objetivo de fiscalizar e discutir o assunto que a ESPN lançou o canal “Jogo Limpo – Por um esporte sem corrupção”.
JogoLimpo
Para conhecer e acompanhar o trabalho, acesse http://www.espn.com.br/jogolimpo.

#jogolimpo

Share Button

NaoMachistaEsporteA Associação AzMina de Jornalismo Investigativo, Cultura e Empoderamento Feminino é um coletivo que luta contra as diversas violências que enfrentam em seu dia a dia: institucional, doméstica, profissional, sexual, racista, contra sua liberdade de orientação sexual, entre outras, como o próprio site diz.

Tanto o site quanto a revista traz discussões pertinentes e muito atuais. É mais do que necessário (para todos) refletir sobre as discriminações, mudar comportamentos arraigados e contribuir para a redução das desigualdades de gênero no Brasil.

Com a proximidade dos Jogos Olímpicos elas criaram um material muito bacana sobre como não ser machista em contextos esportivos: http://olimpiadas.uol.com.br/colunas/azmina/2016/07/25/manual-didatico-de-como-nao-ser-um-machista-em-contextos-esportivos.htm.

Para conhecer mais sobre o trabalho, acesse http://azmina.com.br/2016/.

#futebolsemmachismo
#querotreinarempaz

Share Button