App: Goleiro de Aluguel

Ricardo Roca On dezembro - 6 - 2016ADD COMMENTS

Aplicativo brasileiro pioneiro no mundo disponibiliza a contratação de goleiros para partidas amadoras

A partida entre os amigos está marcada, os times formados mas falta uma posição a ser preenchida. Adivinhou qual é? Sim, o goleiro! Quem joga ou já participou de um encontro desses sabe como é difícil encontrar quem se aventure nessa missão. Foi por essa ótica que o físico, técnico em informática e goleiro Samuel Toaldo teve a ideia de criar a startup Goleiro de Aluguel.

Pioneira no mundo desde abril de 2015, a startup acumula mais de 6000 contratações e também mais 6000 goleiros cadastrados em todo o Brasil, lançou seu primeiro aplicativo para smartphones Android e IOS e já mostra grande adesão do público. Com menos de um mês desde a disponibilização, cerca de 800 goleiros foram convocados para partidas somente pelo app.

“Ficamos muito felizes pelos usuários estarem fazendo uso do app para ter seu goleiro no jogo. Todo o processo desde o cadastro até a convocação é feito em apenas alguns cliques. Isso mostra que estamos no caminho certo, mas antes de tudo, que a inovação no mobile pode atingir de forma relevante o esporte amador”, comenta Samuel Toaldo, CEO da Goleiro de Aluguel.
SociosGoleiroAluguel
Foto (Divulgação): Da esq. para a dir. : Os sócios, Samuel Toaldo e Eugen Braun.

Como ter um Goleiro de Aluguel pelo app
Deve-se criar o perfil e preencher os dados da partida com data, horários, local, tipo de campo da partida e número de goleiros necessários. O app permite convocar quantos quiser e a qualquer hora. São sete opções de campo disponíveis, dentre elas estão Society ou Fut7 em grama sintética, campo grande com 11 jogadores em grama natural, futsal, quadra de areia e o tradicional terrão ou chão batido.

Há duas possibilidades de convocação:

1. Goleiros Aleatórios – Como não há limitação de número de goleiros, basta inserir no app quantos deseja-se contratar e onde será a partida que no momento seguinte o chamado é enviado para todos os habilitados dentro do raio de atendimento.

2. Goleiro Exclusivo – Caso o contratante já conheça um goleiro e deseje tê-lo especificamente, basta buscar pelo nome. Caso o goleiro recuse a convocação ou não responda em um espaço de ¼ de tempo para o horário inicial da partida (exemplo: se a convocação ocorreu um dia antes da partida, o goleiro tem 6 horas para aceitar) ou esteja suspenso, a convocação é disparada para a base aleatória, dentro do raio de atendimento especificado anteriormente.

Após cerca de 15 minutos do horário de início da partida, o contratante é incentivado pelo aplicativo a avaliar o desempenho do goleiro. Dentre os quesitos estão pontualidade, personalidade, se está usando o uniforme da Goleiro de Aluguel e claro, sua técnica debaixo das traves. Com isso é gerado o ranking, onde os 3 goleiros melhores avaliados do Brasil são premiados com brindes exclusivos como luvas profissionais e a camisa oficial da startup.

Caso a avaliação não seja efetuada até o 5º dia de cada mês, automaticamente, o goleiro recebe apenas 10 pontos pela partida e a opção de avaliação do respectivo jogo é desabilitada para o contratante.

E como ser um Goleiro de Aluguel
Ao baixar o aplicativo, o goleiro deve criar seu perfil cadastro completo onde são pedidas informações como nome, gênero, telefone, e-mail, RG, CPF, altura e peso. Além disso, é solicitado endereço da residência e qual será o raio de atendimento, partindo do local cadastrado. Depois é só inserir a conta bancária (corrente ou poupança) para receber os valores dos jogos em até 30 dias após os jogos.

A partir desse momento, o goleiro ou goleira já começa a receber notificações de convocações aleatórias e/ou especificas de acordo com o raio de atendimento, pode verificar sua posição no ranking e as avaliações dos contratantes.

Para baixar o app, basta acessar os links:

http://play.google.com/store/apps/details?id=br.com.goleirodealuguel&hl=pt_BR – Android
http://itunes.apple.com/br/app/goleiro-de-aluguel/id1133272031?mt=8 – iOS

Startup atinge grande demanda reprimida
Segundo números levantados das federações Paulista e Paranaense de futebol, acontecem cerca de 1 milhão de jogos amadores por ano no Brasil, sendo que 700 mil deles não contam com um goleiro na partida. Este é outro fator que demonstra quanto a proposta da Goleiro de Aluguel pode ajudar a suprir essa demanda:

“Nossa startup não deixa de ser um grande laboratório para o mercado esportivo amador no país. Estamos comprovando que há uma grande procura por goleiros no Brasil inteiro, o que valida os números nos quais nos baseamos. Com o app, atrelamos a mobilidade a toda mecânica que já realizávamos pelo site, um resultado do nosso empenho constante para facilitar cada vez mais a vida dos “peladeiros”. São muitos os benefícios ao ter um Goleiro de Aluguel. Para além de contar com um jogador que gosta de jogar na posição, a partida se torna mais competitiva e ainda mais divertida para todos os presentes”, afirma Toaldo.

Ações sociais motivam crescimento
Atualmente, a startup ajuda de maneira recorrente um projeto específico ligado ao esporte e a crianças carentes em Mali, na África, com treinamento de goleiros e aulas de espanhol para crianças e adolescentes de 6 a 14 anos. Este começou por conta do contato pela internet do treinador local Vadjiguiba Diaby, mantenedor do projeto, com os fundadores, Samuel e Eugen. Ambos gostaram muito da iniciativa e começaram a disponibilizar uma verba mensal que financiou até o momento o aluguel do campo de jogo e uma sala para guardar equipamentos.

Para esse ano, não só a parceria foi mantida como ampliada em 300% e será desenvolvida a chamada “Escuela de Porteros” – ou escola de goleiros – trazendo muito mais estrutura a esses jovens. Logo após o primeiro mês de aumento dos valores doados, os organizadores já anteciparam o pagamento de 6 meses do aluguel do espaço utilizado para treinos pois nos próximos meses o valor será utilizado para aquisição de materiais esportivos e outras despesas operacionais para o crescimento do projeto que terá a marca e as cores da Goleiro de Aluguel. Segundo Samuel, “Pretendemos também enviar uniformes, luvas, chuteiras e bolas nos próximos meses.
GoleiroSocial
Os empreendedores já se envolveram em outras três ações sociais, onde patrocinaram a Seleção Brasileira Feminina de Futsal para surdos, que recebeu todo material esportivo e condições financeiras de disputarem a Copa do Mundo da modalidade, se sagrando vice-campeã. Outra iniciativa surgiu a partir do contato inspirador com o menino Gustavo, de apenas 4 anos que luta bravamente contra a Leucemia.

Em conjunto com um dos goleiros de aluguel, Thiago Merigui, foi realizada uma campanha com a hashtag #‎goleirosanguebom para incentivar a doação de medula óssea. A ideia ganhou corpo e foi aderida por muitas pessoas, inclusive grandes atletas e treinadores de clubes de série A como o goleiro Vanderlei e o técnico Dorival Júnior, ambos do Santos. Como incentivo, o goleiro Douglas Friedrich , hoje no Grêmio, enviou suas luvas de jogo. “A ideia inicial era sortear essa luva entre os goleiros de aluguel, mas decidimos manda-las para esse grande campeão”, assinala Eugen Braun, COO da Goleiro de Aluguel.

E a cidade de Campo Largo, região metropolitana de Curitiba, também se tornou palco para uma goleada de solidariedade. Lá, o Professor Ivo, de 77 anos, trabalha voluntariamente como treinador de mais de 100 crianças. Nesse projeto, todos os materiais esportivos, sejam eles uniformes, bolas, coletes, foram doados pela Goleiro De Aluguel.

Fonte: Híbrida Comunicação

Share Button

O FC Barcelona organizou uma palestra chamada Crossing Bridges(Cruzando Fronteiras), organizada pela Aperture Foundation em Nova York. A premiação fotográfica FCBARCELONA PHOTO AWARDS é a primeira de seu tipo, iniciada por um clube esportivo e direcionada às fotografias que irão representar os valores positivos dos esportes.
FC BARCELONA PHOTO AWARDS
Para visualizar o comunicado para a imprensa em multimídia, clique em:
http://www.multivu.com/players/uk/7994851-fcbarcelona-photo-awards-new-york.

A premiação conta com a participação de artistas, fotógrafos profissionais, bem como de fotojornalistas. O Júri dará prioridade às inscrições que mostram o esporte como ele é praticado na vida diária.

A premiação FCBARCELONA PHOTO AWARDS deverá recuperar tradições e unir os mundos das Artes e dos Esportes, como costumavam ser ao longo da história. Através do conceito Crossing Bridges o FC Barcelona tem por objetivo criar uma plataforma onde ambos os mundos possam interagir, se comunicar e iniciar uma colaboração.

A discussão for realizada entre:

Carles Vilarrubí, Vice-Presidente do Conselho do FC Barcelona.

Azu Nwagbogu, Fundador e Diretor da African Artists’ Foundation.

Stephen Mayes, Diretor Executivo do Tim Hetherington Trust.

Gail Buckland, autora, educadora, curadora e uma autoridade em fotografia, responsável pela exposição Who Shot Sports no Museu do Brooklyn.

Jean-Denis Walter, que abriu a única galeria em Paris especializada em fotografias esportivas.

O artista e escritor Chris Wiley, que é um editor contribuinte da Frieze Magazine, foi o moderador da palestra.

Wiley se interessou pela competição tão ambiciosa como é a premiação FCBARCELONA PHOTO AWARDS.

Stephen Mayes ressaltou que essa é uma excelente época para o mundo da fotografia, graças aos avanços tecnológicos

Gail Buckland relembrou que a fotografia esportiva era considerada pela maioria dos profissionais do setor como da ‘segunda divisão’. O mesmo ocorreu no passado com os fotógrafos de moda e com aqueles que seguiam os artistas do Rock, porém esta percepção geral mudou há alguns anos e ela espera que a mesma evolução aconteça com os fotógrafos esportivos.

Jean-Denis Walter mencionou que, durante sua vida profissional, pode ver muitas fotografias esportivas que são verdadeiras obras de arte.

Azu Nwagbogu apresentou quais serão os critérios de seleção aplicados às fotografias e aos projetos fotográficos recebidos até 30 de dezembro. As imagens apresentadas serão avaliadas pela história sobre os valores ligados aos esportes.

O Vice-Presidente do Conselho Carles Vilarrubí agradeceu o interesse mostrado sobre a premiação e ficou muito satisfeito com o número e as qualidades das pessoas que participaram da Palestra.

No dia 29 de novembro, Gail Buckland ofereceu aos participantes do painel da Palestra uma visita privada à sua exposição Who Shot Sports no Museu do Brooklyn.

Fonte: PR Newswire

Share Button

Lançamento: “Torcedores”

Ricardo Roca On dezembro - 5 - 2016ADD COMMENTS

TorcedoresLivro
#livrosdefutebol
#futebolefotografia

Share Button

Parte da programação da 17ª Retrospectiva do Cinema Brasileiro.

Lutando para construir sua vida em Manaus, o jovem José Aldo passa por inúmeras dificuldades e trabalhos duros, enquanto tenta jogar futebol, mas é ironizado pelos colegas por chutar as canelas de todos. Um professor de jiu-jitsu que assistia a um jogo percebe o potencial do garoto e começa a treiná-lo em artes marciais. Aldo então desponta como lutador de jiu-jitsu e boxe tailandês, e começa a chamar atenção dos empresários. Na arena de lutas de MMA, o lutador mostra que seu potencial é bem maior do que todos pensavam, e inicia uma carreira meteórica que o levará do Amazonas para o mundo.
Aldo
06/12, às 19h e 16/12, às 17h
CineSesc
Rua Augusta, 2075 – Cerqueira César – São Paulo – SP

Fonte: Sesc

#filmesdefutebol
#futebolecinema

Share Button

Hoje não tem futebol…

Ricardo Roca On dezembro - 4 - 20161 COMMENT

Hoje é domingo e não tem futebol. Não tem passe, drible, lançamento e chute; não tem lateral, escanteio, tiro de meta, falta e pênalti; não tem vaia, palmas, polêmica, xingamentos e mãe do juiz; não tem hino, uniforme, radinho, mesa redonda e melhores momentos… Hoje é domingo e tem muita tristeza.

Felizmente tem também muita solidariedade e esperança.

No Brasil, desde muito pequenos, meninos e meninas começam a jogar futebol e a torcer por algum time. Jogam nas ruas, nas praias, nos clubes, nas escolas, nos campinhos de várzea e quadras improvisadas; jogam sempre com os mesmos colegas contra os mesmos adversários, algo como “o time da rua” contra “o time da rua de cima”, ou montam os times ali na hora, depois do par ou ímpar entre os líderes. Algumas vezes tem até “time de fora”, “dois gols ou 10 minutos”, “saída à Bangu”, meio gol, revezamento de goleiros.

Nesse processo aprendem. Aprendem a atuar em equipe, aprendem a respeitar as regras do jogo e aprendem que só vence quem se esforça, mas o que de mais importante o futebol ensina é a perder. São vários jogos num mesmo dia, em vários dias da semana, em várias semanas do mês, ao longo de todo o ano, por vários anos. Você vai vencer, mas vai perder muito também. Vai ser obrigado a entender que perder “é da vida”, que deve melhorar suas habilidades e se esforçar “o dobro” para vencer mais do que perder.
ChapecoenseMenino
Foto do “garoto solitário”, de Nelson Almeida, da Agência France Press

Há ainda um outro aprendizado, já mencionado por aqui neste blog, o de que futebol é “quarta e domingo”. Claro que no mundo moderno tem jogo todos os dias, mas quarta e domingo ainda são os dias “nobres” da bola. Quantas decepções não sofremos numa partida, desclassificação, goleada, perder para o principal rival. Tudo parece que não tem mais solução, até que vem um novo jogo e vencemos. Pode demorar mais tempo, mas a esperança nos move, porque no futebol tudo é possível.

Também já dito por aqui, o futebol é metáfora da vida. E o acidente com o vôo da Chapecoense que disputaria a final da Copa Sul-Americana é uma dessas tragédias inexplicáveis como um resultado estranho. 71 vítimas fatais, o 7 a 1 da vida a nos esfregar na cara que a vida é um sopro.
CondaPaz
Nunca há um lado positivo em uma tragédia, especialmente em uma dessas proporções, mas a quantidade de manifestações de solidariedade mundo afora também serve como exemplo. Tocantes, simbólicas ou com efeitos práticos, nos mostram que na vida também tudo é possível, que um pouco de paz e união, valores tão caros a Condá, só iriam ajudar.

Hoje é domingo e não tem futebol.

Ricardo Roca

#forcachape

Share Button